Home
.
 
Reino da Garotada inaugura o Ponto de Cultura Memórias do Olhar
 
 
O novo espaço em Poá integra o Programa Cultura Viva, do MINC
 
 

“Quem sabe eu possa me tornar, no futuro, um Fernando Meireles”. Essa frase é de uma das inscritas na primeira turma do curso de vídeo do Ponto de Cultura Memórias do Olhar, que o Reino da Garotada de Poá, SP, está inaugurando em março. Pelo nível de expectativa da jovem candidata a cineasta, já se percebe o quanto a implantação do novo espaço poderá impulsionar a história de vida dos participantes dos cursos oferecidos pela instituição nas áreas de fotografia e vídeo.
Aos 64 anos de atuação em programas sociais e educacionais dirigidos a crianças e jovens em situação de exclusão no município da região grande leste de São Paulo, o Reino da Garotada começa mais um desafio, que é agregar a cultura digital e a comunicação em rede aos seus programas de capacitação nas áreas de marcenaria, tapeçaria de móveis, mecânica, instalações elétricas, corte-costura, padaria, tear e informática, já implantados e bastante procurados pela comunidade.
A cultura digital vem se transformando em instrumento de inclusão e valorização da cidadania. Por todo o país, o Ministério da Cultura está implantando Pontos de Cultura, abrindo espaços para a convergência de idéias, valorização da cidadania, encontros artísticos e culturais. O projeto do Reino, em funcionamento a partir de 10 de março, segue essa filosofia, com base no aprendizado e desenvolvimento das linguagens da fotografia e do vídeo. A proposta do Ponto de Cultura Memórias do Olhar começa com a oferta de cursos nestas duas artes, nos períodos da manhã e da tarde, de segunda a quinta. Na sexta serão promovidos encontros de todas as turmas dos cursos, com exibição de filmes, realização de palestras, eventos que também serão abertos para a comunidade.
O Ponto de Cultura do Reino pretende interagir com as outras atividades da instituição, especialmente com as ações do “Jardim Literário”, biblioteca da instituição, que começará um acervo, a partir de doações, voltado para fotografia, vídeo, cinema, cybercultura e disciplinas relacionadas a estas linguagens.
A memória é um tema bastante significativo para o Reino da Garotada de Poá. Primeiro, pela necessidade de preservar a sua história de quase sete décadas, dos primórdios – quando atuava como um orfanato fundado pelo padre holandês Simon Switzar, que recebia inclusive crianças de origem indígena – aos dias atuais com o atendimento a quase mil crianças, jovens e adultos, implantando programas sociais diversificados, como a Creche e o Projeto Tear, de geração de renda, patrocinado pela UPS. Segundo, pela tradição deixada por seu próprio fundador, que sempre manteve arquivos de fotografias, muitas das quais de inegável valor artístico. Parte deste acervo integrou a exposição “Poá, Sonhos e Memória”, que circulou nas escolas públicas da região, na própria instituição e esteve em cartaz na CAIXA Cultural da Praça da Sé, em São Paulo. A exposição foi o resultado de projeto patrocinado pela Fundação Vitae e apoio da Arcor.

Situado numa extensa área, a apenas cinco minutos da estação de trem de Poá, em breve o Reino também terá uma nova quadra de esportes. Atualmente abriga uma unidade do Projeto Guri.

Mais informações:
Comunicação do Reino da Garotada de Poá
Priscila – 4638-2466

 
Reino da Garotada de Poá 2002 - 2013. Todos os direitos reservados